8

FACIT First Research Connect movimentou a comunidade acadêmica

A Faculdade de Ciências do Tocantins – FACIT-TO abriu suas portas para um grande encontro acadêmico em prol da pesquisa e do meio ambiente, o FACIT First Research Connect. Promovido pela Coordenação de Pesquisa e o Núcleo de Apoio à Internacionalização – NAI, o evento reuniu alunos, professores e representantes de entidades acadêmica, representativa e órgãos de proteção da natureza.

O circuito de palestras contou a apresentação dos professores e pesquisadores Dr. Egan Kyle Green, da Radford University, Dra. Carla Cecilia Alandia Román, da FACIT-TO e do Dr. Francisco Edwiges Albuquerque, da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

A diretora geral da FACIT-TO, Dra. Ângela Maria da Silva, reforçou o compromisso da instituição com o meio ambiente. “Tenho certeza de que hoje saímos melhores cidadãos tendo uma visão mais refinada da importância da pesquisa e da ação efetiva para a preservação da nossa fauna e flora”.

Além de alunos e professores da faculdade, participaram do evento o Sebrae, Centro Universitário ITPAC, 2° Batalhão de Polícia Militar Ambiental, Naturatins e o Centro de Triagem de Animais Silvestres da Polícia Ambiental.

Ciclo de palestras

Com o tema “A Pesquisa como Pilar Forte na Educação: Case FACIT”, a Profa. Dra. Carla Cecilia enfatizou as ferramentas que a instituição dá ao aluno para que ele ingresse na pesquisa acadêmica. “Só depende deles pegar essas oportunidades e aproveitar ao máximo, porque isso irá repercutir em sua vida profissional e na contribuição deles para com a sociedade”, disse. 

Prof. Dr. Egan Kyle Green falou sobre “A importância da Pesquisa na Preservação do Meio Ambiente”. Segundo o palestrante, é importante o engajamento de todos, poder público e sociedade, para proteger a natureza. O pesquisador apontou, também, que o mercado ilegal de animais silvestres movimenta $ 20 bilhões de dólares por ano e que, sem o esforço coletivo, essa prática não vai parar. “Nós ainda temos tempo para fazer alguma coisa, as pessoas precisam ver que isso é um grande problema e que precisa ser combatido antes que fique pior”, alertou o professor.

Finalizando o ciclo de palestras, o Prof. Dr. Francisco Edwiges Albuquerque, da UFT, abordou “A Importância das Etnias Indígenas no Cuidado do Meio Ambiente”, que ainda contou a presença de indígenas da etnia Karajás.

“É muito importante trabalhar com as pesquisas dos povos indígenas, porque a educação tem contribuído muito para a manutenção da língua e cultura deles, além da própria preservação do meio ambiente”, enfatizou.

Honraria indígena

Durante o evento, houve espaço para o recebimento de um presente muito especial. Representando o povo Karajá, Adriano Karajás entregou o Ararretô, uma espécie de cocar para a diretora Dra. Ângela. “O Ararretô é o símbolo máximo do nosso povo, ele representa a parceria que o nosso povo tem com a Facit”, explicou.