8

Odontologia

As atividades complementares deverão ser incentivadas como estratégias didáticas para garantir a interação teoria-prática, devendo a Faculdade, conforme as Diretrizes Curriculares, criar mecanismos de aproveitamento de conhecimentos, adquiridos pelo aluno, através de estudos e práticas independentes.

Atividades de formação complementar definidas como atividades acadêmico-científico-culturais, propõem desenvolver nos alunos competências e habilidades diversas e oportunizar experiências diferenciadas, onde cada um poderá definir objetivos e traçar metas em sua própria formação acadêmica.

Estas atividades contribuem na integralização do curso, com um mínimo de 120 horas, referendadas pela legislação vigente. Resolução CNE/CES 3 de 19 de fevereiro de 2002 que institui Diretrizes Curriculares para o Curso de Odontologia.

O projeto pedagógico no artigo 8º desta resolução diz “O Projeto Pedagógico do curso de Odontologia deverá contemplar atividades complementares e as Instituições de Ensino Superior deverão criar mecanismos de aproveitamento de conhecimentos adquiridos pelo estudante através de estudos, práticas independentes presenciais e/ou a distância a saber: monitorias e estágios, programas de iniciação científica, programas de extensão, estudos complementares e cursos realizados em áreas afins”.