8

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

O Núcleo Docente Estruturante responsável desse projeto acredita que o estágio é uma forma importante de intercâmbio entre a FACIT e a empresa, apresentando-se mesmo como uma oportunidade para que o aluno possa aplicar seus conhecimentos acadêmicos, aprimorando-os e qualificando-se para o exercício profissional.

O estágio somente poderá ser realizado em locais que tenham condições de proporcionar experiência prática na linha de formação, devendo o estudante, para esse fim, ter cursado disciplinas que lhe ofereçam subsídios teóricos relacionados com a área que deseja estagiar. Os estágios devem propiciar a complementação do ensino e da aprendizagem, portanto devem ser planejados, executados, acompanhados e avaliados em conformidade com os currículos, programas e calendários escolares, a fim de se constituírem em instrumentos de integração, em termos de treinamento prático, de aperfeiçoamento técnico, cultural, científico e de relacionamento humano.

Ao mesmo tempo, o retorno de informações propiciado pelo aluno à FACIT permite aos profissionais de ensino o acesso a novos conhecimentos e torna os cursos mais eficazes na sua própria adequação à realidade de mercado.

De modo complementar, além da aplicação dos conteúdos teóricos e do exercício da prática, que integram as atividades do estágio e são imprescindíveis à formação do aluno, esse é o momento em que se viabiliza o contato do discente com profissionais já formados em empresas que necessitam de seus conhecimentos e no mercado de trabalho que irá recebê-lo.

A Coordenação do curso é responsável pelo estabelecimento de convênios entre a FACIT e as empresas que abrigarão os alunos durante seus estágios e, para isso, possui regulamentação própria no que tange à documentação e procedimentos necessários, estando esses últimos descritos em documento específico disponibilizado por ela aos estudantes e às coordenações de área.

As atividades de estágio na área de atuação do egresso do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas seguem padrões semelhantes aos dos demais cursos superiores, devendo-se observar que existe uma série de atividades, de cunho profissional, que não são válidas para efeito de cumprimento das obrigações do estágio. Espera-se que, durante o estágio, o aluno possa desenvolver atividades que tenham relação direta com os conhecimentos trabalhados durante o curso e, assim, a lista a seguir apresenta de forma não exaustiva atividades consideradas adequadas para a formação de um tecnólogo na visão do Núcleo Docente Estruturante:

·         Desenvolver software básico ou aplicativo;

·         Participar do processo de coleta de requisitos e especificação de software básico ou aplicativo;

·         Analisar e projetar software básico ou aplicativo;

·         Participar do processo de modelagem, implantação e operação de bases de dados;

·         Especificar, instalar, configurar e operar servidores;

·         Especificar, instalar, configurar e operar equipamentos de rede;

·         Especificar, implementar e avaliar alternativas de interfaces com o usuário para software básico ou aplicativo;

·         Participar do gerenciamento de processos de tecnologia de informação;

 

·         Participar da especificação, implementação e acompanhamento de políticas de segurança da informação.